Em blitz pela amamentação, pediatras da UTI Neo do Hospital do Açúcar levam orientações e segurança às novas mamães

Em blitz pela amamentação, pediatras da UTI Neo do Hospital do Açúcar levam orientações e segurança às novas mamães

17:51 08 agosto in Últimas Notícias

Amamentação que vale ouro! Este é o recado que a Sociedade Brasileira de Pediatria quer trazer com o mês Agosto Dourado, ressaltando que “o leite materno é o melhor alimento que um bebê pode receber nos seus primeiros anos de vida”.

Neste sentido, e também finalizando as ações da semana mundial da amamentação, equipe da UTI Neonatal e pediátrica do Hospital do Açúcar, liderada pelo coordenador médico da Neo e presidente da Sociedade Alagoana de Pediatria (SAP), João Lourival, visitaram pacientes da maternidade para usuárias do SUS (Sistema Único de Saúde).

O intuito da visita é levar informações quanto à importância do leite materno para o bebê e dos benefícios que este gesto gera tanto à mãe quanto ao filho e desmistificar uma série de mitos sobre o assunto.

“A primeira semana de agosto é considerada a semana mundial da amamentação, e mundialmente se discute o tema. Aqui no Brasil, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) veio destacar todo o mês de agosto a esta causa, chamado mês dourado. Junto com as filiadas desenvolvendo ações que remetam a amamentação, realizando blitz nos hospitais, como uma forma de chamar atenção para o tema, levando informação sobre as vantagens e também dificuldades relacionadas ao tema, visto que o leite materno comprovadamente reduz mortalidade e é um binômio mãe e filho”, explica o pediatra.

Os especialistas visitaram as enfermarias ouvindo, observando e orientando as puérperas. Algumas afirmaram não ter qualquer dificuldade em colocar seu bebê para mamar, mas tiveram dúvidas quanto à hora ideal para parar de amamentar. O médico afirmou que, infelizmente, isto ainda é comum.

“Nossa preocupação maior é o desmame precoce, visto que só cerca de 10 a 20% da população brasileira chega ao sexto mês com amamentação exclusiva, um índice muito alto. E a gente reconhece, enquanto Sociedade (SAP), que este desmame está muito ligado à falta de informação e que algumas dificuldades maternas podem ser prontamente esclarecidas e melhoradas com uma orientação pertinente. Então há também um chamado para as equipes de saúdes, para que discutam mais o tema, para que insistam em colocar o aleitamento materno exclusivo como prioridade dentro de suas pautas de assistência”, reforça João Lourival.