Ação itinerante contra Hepatites Virais realizou testes rápidos no Hospital do Açúcar

Ação itinerante contra Hepatites Virais realizou testes rápidos no Hospital do Açúcar

17:13 08 agosto in Últimas Notícias

A fim de chamar atenção para o diagnóstico precoce das Hepatites Virais e HIV/AIDS, o Hospital do Açúcar realizou, em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), uma ação itinerante visando orientar colaboradores e usuários sobre cuidados e combate à infecção pelo vírus.

Durante a ação, foram disponibilizados 100  kits para teste rápido destinado a colaboradores.  Ação faz parte do calendário de atividades do projeto Fique Sabendo  da Sesau.

De acordo com a Assistente Social da Sesau, Tereza Carvalho,  o projeto cumpre metas estipuladas pelo Ministério da Saúde, visando o diagnóstico e tratamento de 90% da população que apresente hepatites e HIV/AIDS.

“Como sabemos  que para muitas pessoas é difícil acessar centros de saúde, estamos levando ações itinerantes para levantar maior número de diagnóstico possível, e em seguida já encaminhar para o tratamento”, descreveu Tereza, destacando alguns pontos da meta ‘90,90,90’.

Ação no Hospital do Açúcar seguiu o rito recomendado pelo Ministério da Saúde – que adotou o “Julho Amarelo’ como mês de luta e prevenção à doença. Os testes foram aplicados em quatro modalidades, sendo para Sífilis, HIV/AIDS e Hepatite B e C.

“O teste é rápido e seguro. Após a  coleta, dentro de 30 minutos o resultado é liberado de forma sigilosa ao paciente”, esclareceu Carvalho, informando ainda que caso o teste acuse reagente, os aconselhadores, de uma forma ética e discreta, repassam os resultados, informando riscos e grau avaliação.

Saúde interna – Colaboradores aprovam a iniciativa. A Maria José Oliveira foi uma delas. “Faz parte do nosso trabalho lidar com diversos casos de doenças  que  nos exige cuidados redobrado. A iniciativa é muito importante para conscientizar a todos e deixar claro que ninguém está imune”,  frisou.

A doença – Existem seis tipos de hepatites: A, B, C, D, E e G. Cada uma delas é provocada por um tipo de vírus e possuem formas diferentes de prevenção e tratamento. O vírus é eliminado nas fezes de pessoas infectadas e é transmitido através da via fecal-oral, principalmente através de água contaminada. De acordo com a OMS, há cerca de 20 milhões de casos de infecção pelo vírus do tipo E, produzindo 3,3 milhões de casos sintomáticos da doença e 56 mil mortes por ano. A hepatite E pode ser responsável pela hepatite crônica em pacientes imunocomprometidos e pode rapidamente evoluir para fibrose e\ou cirrose hepática.